You need to upgrade your Flash Player This is replaced by the Flash content.

Esteróides (Anabolizantes):
Uso & Abuso

 

Testosterona e outros esteróides anabólicos são essenciais para o tratamento de várias doenças, como imaturidade sexual, humor depressivo, disfunção sexual, osteoporose e fadiga e fraqueza muscular em homens com níveis de testosterona baixos causados por doenças congênitas ou adquiridas.

Enquanto esses esteróides tem claramente um uso clínico impte ,também estão sendo cada vez mais usados por atletas buscando um aumento na performance física e sua aparência.

A Sociedade de Endocrinologia está muito preocupada com o abuso dessas drogas anabolizantes, pois podem causar sérios efeitos colaterais, caracterizando um problema de saúde, principalmente entre os mais jovens.

Enquanto o Comitê Olímpico Internacional e outras organizações esportivas se esforçam em combater esse uso abusivo de esteríodes, a Sociedade de Endocrinologia dá alerta com informações ao público.

Esteróides incluem a testosterona e substâncias sintéticas relacionadas a ela. Todas promovem o crescimento de músculos esqueléticos e mediam o desenvolvimento de alguns caracteres sexuais em ambos os sexos.

Esteróides anabolizantes, são usadas na deficiência androgênica em homens, puberdade atrasada e perda corporal causada pelo HIV/AIDS e outras doenças.

Na década de 1930, cientistas descobriram o aumento de musculatura esquelética em animais de laboratório; e desde então seu uso tornou-se comum entre atletas profissionais e amadores; podendo interferir no resultado esportivo.

O uso abusivo de esteróides também está associado a vários efeitos colaterais; como o desenvolvimento de mamas, acne, perda de cabelo e aumento da agressividade em homens. Em mulheres, promovem o desenvolvimento de caracteres masculinos, como pelo facial e voz mais grossa. Mais alarmante ainda, é sua forte associação com doenças cardiovasculares, incluindo ataques cardíacos até em jovens com menos de 30 anos. Quando essas drogas são usadas via oral, principalmente, geram aumento de LDL colesterol e queda de HDL colesterol, respectivamente o colesterol ruim e bom; e também estão associadas a doença hepática.

Nos EUA, seu uso é ilegal sem uma prescrição aprovada pelo FDA, entretanto, essas drogas são importadas ilegalmente ou criadas em laboratórios ilegais. Atletas e jovens também podem obtê-las pela internet, onde são vendidas como suplementos musculares e energéticos.

Além disso, algumas substâncias denominadas suplementos dietéticos são convertidos em potentes esteróides anabólicos no corpo. Entre esses precursores esteróides está a androstenediona, que teve sua venda proibida nos Estados Unidos em 2004. Já a dehidroepiandrostenediona(DHEA), que é convertida em androstenediona e testosterona no corpo, ainda é legalmente vendida e apresenta os mesmos riscos dos esteróides anabólicos.

Nos EUA, 6,1% dos adolescentes faziam uso abusivo dessas drogas em 2003, e 4% deles admitiam usá-los ilegalmente em 2005.

Além dos efeitos na saúde, podem estancar o crescimento de crianças pelo fechamento prematuro das placas de crescimento dos ossos. Também podem suprimir o desenvolvimento e função gonadal normal (testículos e ovários).

Apesar dos estudos de longo prazo, ainda há muitos efeitos que só irão aparecer após muitos anos de abuso.

Estima-se que em torno de 6% dos atletas façam uso abusivo dessas drogas. Como são considerados celebridades e vistos como modelos pelas crianças, a política drug-free no esporte profissional é extremamente importante. Para ajudar a prevenir o abuso dessas substâncias, diagnosticar e avaliar o tratamento de pacientes com disfunção hormonal, o governo federal dos EUA deve investir no desenvolvimento e implementação de metodologias laboratoriais de alta qualidade para a medida de hormônios, seus precursores, análogos e metabólitos em amostras humanas.

A Sociedade de Endocrinologia defende a prescrição, distribuição e uso de todos hormônios e precursores de forma ética e segura, evitando o uso por aqueles que procuram realçar sua imagem corporal e/ou performance atlética.

A Sociedade realça que há uma clara divisão entre abuso e uso clínico adequado. Também acredita fortemente que esteróides anabólicos e todos hormônios devem ser prescritos e admnistrados apenas quando realmente necessários, e apenas por médicos especializados no diagnóstico e tratamento de doenças hormonais.

A Sociedade também dá suporte para prevenir o uso ilegal e não médico dessas drogas; como:

O FDA deve controlar a manufatura e venda de todos hormônios e seus precursores,incluindo aqueles que são vendidos como “suplementos dietéticos” (DHEA,por ex.), inclusive pela internet.

O governo federal e os órgãos governantes dos esportes amadores e profissionais devem publicar agressivamente os perigos do abuso dessas drogas e adotar os ensaios mais consistentes,avançados e de maior acurácia quando realizar testes para esteróides anabólicos e outras substâncias proibidas.

Dra Mônica Freitas de Moraes
CRM 7537